Em formação

Raças de suínos: porco ibérico

Raças de suínos: porco ibérico

Criação, alimentação e Jamòn ibérico

A criação de porco ibérico na Dehesa espanhola representa uma realidade consolidada e principalmente destinada à obtenção do famoso jamòn ibérico. La Dehesa é uma área arborizada localizada no sudoeste da Espanha, onde abrange uma área de cerca de 3 milhões de hectares para cerca de um terço usada para a criação selvagem do porco ibérico. As espécies de madeira que a caracterizam são as típicas do mato mediterrâneo, com uma presença imponente de várias espécies de carvalhos (Quercus ilix, suber e lusitanica). Os porcos são pastados na floresta principalmente durante a fase de engorda; no entanto, devido à variabilidade sazonal, a floresta nem sempre é capaz de garantir a subsistência total dos animais. Em períodos de menor produtividade florestal, os porcos também são alimentados com ração comercial, e é precisamente com base nessa diversificação de alimentos que o presunto é classificado em três categorias diferentes:
1. Montanera ou Bellota (= bolotas) - 2. Recebo - 3. Cebo
Montanera ou Bellota: representa o produto de elite e provém de animais engordados na floresta. O abate ocorre somente após garantir um período adequado de alimentação exclusivamente com bolotas e outros recursos florestais, a fim de garantir uma forte caracterização qualitativa do produto. Esta última está basicamente ligada à composição ácida da gordura, que reflete de perto a da bolota, ou seja, maior riqueza em ácidos graxos monoinsaturados, oleico em particular. A proteção do produto é assegurada por órgãos de controle que avaliam objetivamente o conteúdo de ácidos graxos (palmítico, esteárico, oleico e linoléico) cujos valores, mínimo e máximo, são definidos anualmente e publicados pelo Ministério da Agricultura da Espanha.
Recebo: é um produto derivado de animais que não foram capazes de completar seu ciclo de produção na floresta e, portanto, finalizam com ração tradicional. O valor comercial é, portanto, inferior ao da Montenera.
Cebo: provém de animais alimentados exclusivamente com ração tradicional e, consequentemente, tem o menor valor comercial.

Características morfológicas

O Cerdo Ibérico, em analogia com o tipo de porco difundido em outros países da bacia do Mediterrâneo (porco preto da Sicília, Casertano, Calabrese, Mora Romagnola, Cinta Senese, Alentejano, porco da Córsega) tem uma pelagem colorida, diferentemente das raças do norte da Europa com pele rosada e cerdas brancas (por exemplo, Large White e Landrace).
O Cerdo Ibérico está presente hoje com raças diferentes, com a mesma origem. A principal diferença é a cor, que vai do preto ao vermelho (alguns com cerdas, outros nus).
O tamanho é médio e os músculos são bons. Os membros são finos, mas fortes e adequados para pastagem.

da La Cinta Senese - Qualidade do produto - Carolina Pugliese, Riccardo Bozzi
Departamento de Ciências Zootécnicas, Universidade de Florença

Porco ibérico

Presunto de Bellota - porcos de pastoreio

Lista de raças ibéricas Cerdo - por Alessio Zanon

Negras Lampinas

Raça espanhola quase sem pêlos com membros muito finos.
Perfil frontonasal retilíneo, orelhas largas e pendentes.
Presente com duas variedades: Negro Lampino Pelòn Guadianés e Negro Lampino De la Serena.

Negro Enterpelado

Variedade espanhola obtida cruzando o negro Lampino com a raça inglesa preta grande. Possui melhor conformação e alta prolificidade, mas é mais rústico do que no negro puro Lampino. Possui cerdas, exceto em algumas regiões características em que não possui.

Retinto Portugués

Retintas Extremeno

É a raça ibérica espanhola com maior difusão com as variedades: R.E. Valdesequera, R.E. Villalòn, R.E Silvela e R.E. Olivença. No passado, algumas dessas variedades sofriam de cruzamento com a raça inglesa Tamworth.

Rubia Andalusa

Raça espanhola distribuída nas províncias de Córdoba, Sevilha, Cádiz.
Com as variedades: R. Cano (cabeça esbranquiçada, chamada Cano Campinés); R. Dorado (possui intensa pigmentação da pele; também chamado Dorado Gaditano).
Um grande número desses indivíduos tem mamas como a raça Casertana.
Raça em sério perigo de extinção.

Manchado de Jabugo

Raça espanhola conhecida desde o início do século passado.
Raça em extinção.
Deriva de várias travessias nem todas conhecidas.

Torbiscal

A raça espanhola se originou por volta de 1943.
Foi obtido a partir da fusão de 4 linhas (Envideira Portuguesa, Caldeira Portuguesa, Puebla, Campanario).
Coloração bicolor, sem diferenças visíveis de cores.
Paralelamente ao Torbiscal, outras linhagens se originaram (Gamito, Guadyerbas).


Vídeo: PORCOS caipiras Raça NILO (Outubro 2021).