Em formação

Raças de cães: Bolonhesa

Raças de cães: Bolonhesa

Origem, classificação e história

Origem: Itália.
Classificação F.C.I: Grupo 9 - cães acompanhantes.

A bolonhesa é uma raça de origem muito antiga. Sua existência já na época dos romanos antigos é comprovada por muitas representações em terracota e em vários vasos daquela época. Ele era considerado um cão de enorme valor e considerado muito precioso, especialmente a partir do século XI. Pertence ao grupo Bichon, portanto, sua origem vem dos pequenos cães brancos que Aristóteles chamou de "Melitensi", que tiveram sua difusão no Mediterrâneo graças ao comércio marítimo e, portanto, ao movimento contínuo de navios mercantes de um país para outro. . No Renascimento, era costume presentear cães pequenos desse tipo entre as várias nobres cortes. Está documentado que Catarina II da Rússia também teve um desses cães. Hoje sua população não é muito grande, porque é uma raça criada principalmente na Itália e pouco conhecida no exterior.

Aspecto geral

Cão pequeno, mesomórfico, com corpo curto e particularmente compacto, construído na praça. A peculiaridade que torna esta raça única é o pêlo longo, elevado e de cor branca.

Personagem

É um canino que tem o caráter típico de cães de companhia. Ele é um cachorro que sempre precisa que uma pessoa seja considerada um ponto de referência para sua vida e não pode prescindir de um contato próximo com o proprietário e sua família. Ela é muito animada e inteligente e possui uma capacidade de aprendizado brilhante, para que também possa ser treinada. Incansável no jogo e excepcionalmente afetuoso. É uma das raças mais adequadas para manter a empresa familiar.

Cão à bolonhesa (foto do site)

Cão à bolonhesa (foto do site)

Padrão

Altura:
- machos de 27 cm a 30 cm
- fêmeas de 25 cm a 28 cm
Peso: de 2,5 kg a 4 kg

Tronco: compacto e compacto, com cernelha alta e tórax largo. Comprimento igual à altura na cernelha.
Cabeça e focinho: a cabeça é mesocefálica e em comprimento atinge 1/3 da altura. Os eixos craniofaciais são paralelos. O comprimento do crânio é um pouco maior que o do focinho. O focinho é igual a 2/5 do comprimento total da cabeça.
Trufa: volumosa, preta e na mesma linha da ponte nasal.
Dentes: com mordedura em tesoura, mesmo que a mordida em pinça seja tolerada. Eles devem ser completos em número e desenvolvimento.
Pescoço: com comprimento igual ao comprimento total da cabeça.
Pele: bem ajustada em todo o corpo.
Membros: perfeitamente retos e sólidos. Com bons ossos vistos como um todo.
Ombro: 1/4 da altura na cernelha e bastante oblíqua.
Musculatura: firme e bem desenvolvida.
Linha superior: reta, ligeiramente convexa aos lombos.
Cauda: inserida na linha da garupa, portada em curva nas costas.
Proporções: construção na praça, cabeça bastante curta em comparação com as medidas do tronco.
Cabelo: longo em todas as partes do corpo e bastante elevado; forma argolinhas, mas nunca franjas.
Cores permitidas: uniforme branco, sem manchas e sombras.
Defeitos mais comuns: medidas não padronizadas, enognatismo, despigmentação da trufa, íris gazzuolo, anurismo, ponte nasal montonina, convergência ou divergência dos eixos craniofaciais, monorquidismo, criptorquidia, prognatismo, cores não permitidas.

com curadoria de Vinattieri Federico - www.difossombrone.it


Vídeo: As 13 raças de cachorro mais raras do mundo (Setembro 2021).