Em formação

Raças de cães: Luvin ou Lupin Giant Dog

Raças de cães: Luvin ou Lupin Giant Dog

Origem, classificação e história

Origem: Itália.
Classificação F.C.I: RAÇA NÃO RECONHECIDA

O uso do cão pastor para guardar e mover os rebanhos remonta a um tempo tão remoto que é impossível falar sobre certas datas e determinar a origem de nossos tremoços. Nosso cachorro em questão tem um nome: Luvin.
Este é o nome com o qual nosso antigo povo apenino de Reggio sempre chamou esses esplêndidos animais. Este cão fofo é usado para mover rebanhos e bandos para áreas inacessíveis e montanhosas. De nossos anciãos da montanha, recebemos várias histórias sobre o nascimento desta raça. A partir de uma cepa inicial de luvina, às vezes as cadelas do estro acasalavam com lobos selvagens dando à luz filhotes inteligentes e mais resistentes. Esses mestiços deram novo vigor à raça e, portanto, foram apreciados e cruzados até sua assimilação.
O nome desta raça era Cane Luvin, presente em todo o Reggio Apennines. Com o desaparecimento da criação de ovinos, o número de cães diminuiu significativamente e restaram poucos espécimes que tiraram o nome dos vales onde ainda estavam presentes.

Aspecto geral

O Luvin não é uma raça com caracteres padrão bem definidos que já foram ditados por alguém, mesmo que algumas características sejam inconfundíveis tanto física quanto comportamentalmente.
Tem uma cabeça triangular bastante pequena, pontiaguda. O focinho é de metal ligeiramente pontiagudo, arqueado para cima ou reto.
As orelhas são retas, médio-curtas. Olhando de frente, pode-se ver que elas são levemente oblíquas em direção à parte externa do crânio.
Os olhos podem ser escuros e claros, um ou ambos. Locchio está vivo, animado e ligeiramente amendoado.
Tem um corpo ósseo e musculoso, com costas retas fortes.
Tamanho médio
Peso médio: cerca de 20-30 kg.
Altura na cernelha:
- machos de 52 a 58 cm
- fêmea de 48 a 54 cm

Personagem

Esta raça tem um caráter patronal, muito carinhoso com crianças, brincalhão e extrovertido até os dois anos de idade. Este é o melhor momento para o ensino e a educação. É atencioso, mas sob o comando impetuoso e ardente. O macho é territorial.
É usado como trabalho animal, companheiro e guarda.
Apreciado por caminhantes a cavalo.
Excelente como cão por agilidade.

Luvin ou cão tremoço gigante (foto www.cane-luvin.eu)

Filhote de Luvin (foto Fabio Zanon)

Tremoço Gigante - Loc. Valisnera 90 anos (foto www.cane-luvin.eu)

Padrão

NÃO ADMITIDO.
Raça atualmente não reconhecida pela FCI. Situação atual na fase de recuperação.
Hipótese padrão de Antonio Crepaldi (juiz Enci / Fci). Levantamentos biométricos de AntonioCrepaldi com a assistência de Cristian Ielli e a colaboração de Stefano Marangon.

ORIGEM: Itália; precisamente nos Apeninos da província de Reggio Emilia.

UTILIZAÇÃO: Pastor e cão de guarda. Ainda hoje, como no passado na área de origem, agora parte do Parque Nacional dos Apeninos Toscano-Emiliano, é usado para o manejo de rebanhos de ovinos e caprinos, bem como para a guarda de prados e gado em fazendas em um ambiente de montanha rural .

CLASSIFICAÇÃO FCI: Grupo 1 - Cães pastor e cães de gado (exceto cães suíços), Seção 1 - Cães pastor; submetido a teste de trabalho.

BREVE RESUMO HISTÓRICO: Raça autóctona da região montanhosa dos Apeninos Reggiano, cujos testemunhos orais tradicionalmente transmitidos ao longo dos séculos por pastores os levaram de volta a um milênio (os pastores dizem que "o tremoço sempre existiu"). A evidência documentada mais antiga encontrada até agora é uma foto de 1920, que retrata um cão de rebanho idêntico aos que estão atualmente recuperados. Também foram encontradas outras evidências fotográficas para cada década subsequente, que documentam uma raça que sempre esteve presente ao longo do século XX na criação de ovinos em vários locais nas montanhas do local de origem. A origem da raça é tradicionalmente contada por três hipóteses: (1) descende diretamente dos lobos apeninos domesticados; (2) uma variedade de cães Reggio Emilia foi ensanguentada pelos filhos das fêmeas que acasalaram com lobos selvagens durante as transumanidades em direção a Maremma; (3) provenientes de um unceppo de grandes cães lupóides primitivos selvagens do Valle del Secchia (giz triássico), capturados, domesticados e colocados na linhagem de cães Reggio de tamanho médio. A terceira hipótese é testemunhada pelas últimas capturas de cães selvagens que ocorreram na década de 1960, que provavelmente criaram a variabilidade que ainda existe, o que pode ser denotado pela presença de alguns espécimes que são mais delgados e selvagens, por natureza, bem como com uma casca semelhante à do lobo.
Nos primeiros anos do século XX, quando nas montanhas Reggio, de um censo da época, havia 60.000 ovelhas com uma média por rebanho de 50 cabeças, calculando que os pastores usavam habitualmente de 1 a 3 cães por rebanho, presume-se que os cães tremoços em Reggio Emilia fossem de 1200 a 3600 espécimes, aos quais foram adicionados mais cem espécimes usados ​​para criação e manada de gado. Com a redução drástica do rebanho dos Apeninos em meados do século XIX, os cães tremoços também reduziram a um risco de extinção e os poucos espécimes sobreviventes permaneceram confinados em vários vales isolados, onde foram preservados assumindo seu nome. A busca pelos espécimes sobreviventes da Costa de 'Grassi (município de Castelnovo ne' Monti), Ventasso (município de Ramiseto), Val Bona (município de Collagna) e Val d'Asta (município de Villa Minozzo), realizada por Cristian Ielli , está liderando ao longo dos anos a recuperação da raça historicamente chamada "Luvin", que hoje assumiu o nome de "Giant Lupin Dog" ("Gigante" é o apelido de Monte Cusna, o pico mais alto dos Apeninos Reggio). Atualmente, a ação de recuperação pode ocorrer em uma população estimada em 150-200 espécimes ainda puros, de acordo com pesquisa realizada pela CristianIelli desde 1997. Essa hipótese padrão é baseada no núcleo de espécimes pertencentes e / ou criados por Cristian Ielli, além de outros se espalharam no local de origem, com 17 espécimes adultos medidos, mais 2 outros adultos e alguns jovens observados, num total de 25 espécimes vistos (13 a 17% da população atualmente estimada). Algumas amostras também foram observadas no trabalho no rebanho e na guarda.

APARÊNCIA GERAL: Cão rústico de tamanho médio, levemente alongado, ágil e sólido, harmonioso, com cabelos curtos e longos; a tipicidade do cão tremoço gigante que faz com que pareça com as espécies selvagens do lobo cinza das subespécies dos Apeninos, transmitidas historicamente pela seleção espontânea natural e / ou pastoral espontânea de séculos de idade, limitada à área de origem limitada, o diferencia consideravelmente da aparência geral das outras raças de canilupo obtido após uma seleção experimental hibridológica recente e curta induzida para fins não para pastoreio (mas militar ou não), como as duas raças já reconhecidas oficialmente pela FCI do cão lobo holandês de Saarloos e do cão lobo checoslovaco, além das não reconhecidas pelo cão lobo italiano e o American Wolf Dog, assim como o menos conhecido Chinese Wolf Dog, o sul-africano Wolf Dog, o Russian Wolf Dog (também do Russian Jackal Dog). Também difere da Cane Toccatore ou Paratore mais similar (por geografia, história, treinamento e função) presente em Abruzzo.

PROPORÇÕES IMPORTANTES: Comprimento do tronco, da ponta do ombro até a ponta do ânus, ligeiramente superior à altura da cernelha (de 10% a 13%); altura do peito pouco menos da metade da altura na cernelha (de 42% a 48% da altura na cernelha); comprimento do focinho menor que a metade do comprimento total da cabeça (proporção crânio-focinho de 55 a 45 para 60 a 40).

COMPORTAMENTO / TEMPERAMENTO: Muito carinhoso com crianças, brincalhão e extrovertido até os dois anos de idade, quando totalmente maduro; é atencioso, mas sob o comando se torna impetuoso e ardente; o homem é territorial; na família, ele geralmente se apega a uma pessoa que considera o líder da matilha, enquanto reserva o mesmo respeito aos outros membros da família como indiferença; entre similares, há uma tendência a criar um vínculo de casal entre homem e mulher.
CABEÇA: em forma de cone; o comprimento total não atinge 5/10 da altura na cernelha (de 43% a 49% da altura na cernelha).
REGIÃO CRANIANA Crânio com formato levemente ovóide, maior que largo; direção do craniofacial ligeiramente divergente; perfil superior do crânio levemente convexo, quase plano.
Crânio: largura bizigomática ligeiramente mais ou menos da metade do comprimento total da cabeça (crânio com 45 a 55% de largura do comprimento total da cabeça); seios frontais pouco desenvolvidos; suturametópico bem acentuado; apófise occipital pouco acentuada.
Stop: pouco acentuado.

REGIÃO FACIAL
Trufa: Grande; o perfil superior da ponte nasal continua e não se projeta na linha vertical anterior dos lábios; pigmentação preta; narinas bem abertas.
Focinho: comprimento menor que o do crânio (40-45% do comprimento total da cabeça); benprofondo; largo na base, com os lados laterais convergindo ligeiramente entre eles, sem ficar muito pontudo; ponte nasal reta ou levemente com pele de carneiro; perfil inferior do focinho dado pela margem retilínea inferior da mandíbula.
Lábios: a margem inferior dos lábios superiores vistos de frente estão em linha reta;
suficientemente espesso; aderente às mandíbulas com comissura labial não visível; pigmentazionenera.
Maxilares / Dentes: maxilares fortes; conjunto completo de dentes, com notáveis ​​dentes brancos; incisivos regularmente alinhados com mordedura em tesoura.
Bochechas: normalmente desenvolvidas, portanto não salientes.
Olhos: um pouco pequeno; abertura de amêndoa; íris clara a marrom escura, bilateral (hipocromática) ou unilateral (heterocromática); nesse caso, com um olho azul; bulboocular não proeminente; posição semi-lateral; margens palpebrais bem aderentes ao globo ocular e com pigmentação negra; expressão animada e animada.
Orelhas: inseridas altas; transportados naturalmente eretos com a face interna voltada para frente, eles são posicionados ligeiramente oblíquos em direção ao exterior; forma triangular; com base larga e cartilagem rígida muito grossa; curto ou médio longo (maior comprimento tolerado).
PESCOÇO: perfil superior levemente convexo; comprimento quase igual ao comprimento total da cabeça; portado ereto com musculatura bem desenvolvida; pele bem ajustada.
TRONCO: inserido no retângulo, pelo comprimento medido da ponta do ombro à ponta da nádega, ligeiramente superior à altura da cernelha (de 10% a 13%).
Linha superior: reta no trato dorsal; ligeiramente convexo na seção lombar; com a parte da frente da garupa (ílio) no mesmo nível ou ligeiramente mais alta que a cernelha.
Cernelha: ligeiramente elevada na linha de trás; junta-se harmoniosamente ao pescoço.
Costas retas; musculatura sólida; mais do que os lombos.
Lombo: Curto; bem largo; muito musculoso para torná-los levemente arqueados.
Garupa: segue a linha dos lombos; bem inclinado na horizontal a 20-25 ° do quadril até a inserção da cauda e a 40-45 ° do íleo ao ísquio; mais longo que largo; bem musculoso.
Peito: pelo menos 5/10 da altura na cernelha para encurtar a região posterior, apenas um pouco mais ou menos que 1/3 da altura na cernelha; descido até os cotovelos, é ligeiramente inferior à metade da altura na cernelha (de 41% a 48% da altura na cernelha); costelas bem circuladas; peito suficientemente largo, com longa região esternal e guidão do esterno não saliente além da ponta dos ombros.
Linha inferior e abdome: linha esternal que se eleva levemente em direção ao abdômen, o que, portanto, não é muito retrógrado; flancos com cavidade levemente acentuada.

CAUDA: a linha da garupa continua, portanto é inserida baixa; estreita um pouco em direção ao ponto; muito tempo para descer além do ponto do jarrete; bem grosso e robusto; coberto com cabelos curtos e longos, dependendo da variedade do casaco; usado como uma cimitarra ou meia-lua ou com um cacho largo ou estreito no final.

ARTES
ANTERIORES
Aspecto geral: Perfeitamente perpendicular quando visto de frente e de lado; altura do cotovelo logo acima da metade da cernelha (de 52% a 59% da altura na cernelha).
Ombro: 1/4 de comprimento na cernelha; inclinado a 50 ° -55 ° no horizonte; musculatura bem desenvolvida; ângulo bacharel-humeral de 100 ° -110 °.
Braço: mais longo que o ombro; inclinado a 50 ° -55 ° no horizonte; musculatura bem desenvolvida.
Cotovelo: paralelo ao plano mediano do corpo; ângulo umeral-radial de 140 ° -145 °.
Antebraço: mais longo que o braço; músculos secos; estrutura óssea robusta.
Carpus: quase tão largo quanto o antebraço; com bastante frequência.
Metacarpo: quase tão largo quanto o antebraço; ligeiramente flexionado.
Pés dianteiros: forma oval; dedos bem arqueados e unidos; de preferência unhas pigmentadas pretas;
plantar preto robusto e pigmentado e almofadas digitais.
QUARTOS TRASEIROS
Aspecto geral: Perfeitamente na posição perpendicular, vista de lado e por trás.
Coxa: 1/3 de altura na cernelha; Largo; musculatura altamente desenvolvida; inclinado a 60 ° no horizonte; ângulo coxo-femoral de 100 ° -105 °.
Joelho: paralelo ao plano mediano do corpo; ângulo femoro-tibial de 115 ° -120 °.
Perna: comprimento menor que o da coxa; inclinado a 55 ° -60 ° no horizonte; musculatura desenvolvida; estrutura óssea robusta.
Hock: Mais frequentemente do que largo; ângulo tíbio-tarso de 145 ° -150 °.
Metatarso: seu comprimento é tal que posiciona a ponta do jarrete a uma distância do solo um pouco acima de 25% da altura na cernelha; suficientemente largo; é vertical e, portanto, imperfeita perpendicular, quando vista de lado e por trás.
Pés traseiros: com todas as mesmas características que os pés dianteiros.

MOVIMENTAÇÃO / PASSO: Pise e trote com muita força; a marcha característica é a trotorresistente em longas distâncias; com a particularidade que converge os membros posteriores para dentro, mantendo-os levemente oblíquos; a galope, dá saltos elegantes, leves ao tocar o chão, mesmo em alta velocidade.
PELE: tensa e aderente em todas as regiões, não é muito espessa para esconder as perseguições ósseas.

CASACO
Cabelo: Duas variedades, de cabelos curtos e cabelos compridos.
Cabelos curtos: cabelos curtos e não acetinados, bem aderentes, de textura áspera, com presença de subpêlo lanoso; o conjunto do casaco de pêlo curto é muito denso.
Cabelos longos: cabelos de comprimento médio a longo, mas com variabilidade de comprimento menor ou maior que a variedade de pelagem semi-longa, seguem as linhas do corpo, sem serem ondulados; sua textura é áspera, enquanto o subpêlo é lanoso; a pelagem geral é bem grossa; forma um colar de fermento; o crânio é coberto por pêlos semi-longos, que escondem a base das orelhas, enquanto o focinho tem pêlos curtos; a orelha é coberta com pêlos finos e curtos; a cauda é decorada com cabelos longos; nas margens posteriores dos membros, o cabelo forma franjas; mais raro é o cabelo levemente encaracolado, o que é permitido.
Cor: todas as cores e suas combinações são permitidas; o mais característico e difundido é o tremoço clássico, com a presença de preto mais ou menos distribuído, às vezes até com traços azuis merle;
pode ser branco ou preto, mas também marrom, avermelhado, cobre, cinza, laranja, cinza, marfim e qualquer outra tonalidade e nuance; o multicor pode ser tigrado e com qualquer outra combinação, sem ou com branco no focinho, coleira, tórax e membros.

TAMANHO E PESO
Altura na cernelha: machos de 52 a 58 cm; fêmeas de 48 a 54 cm; são permitidas alturas mais baixas ou mais altas, desde que as amostras sejam proporcionadas e funcionais, com bom movimento; o tamanho indicado é o clássico para o manejo de rebanhos de ovinos e caprinos, enquanto o tamanho superior é igualmente historicamente indicado, mas para a guarda e manejo dos rebanhos bovinos.
Peso: proporcional à altura na cernelha; indicativamente de 20 a 30 kg.
N.B .: o macho tem dois testículos aparentemente normais, totalmente descidos ao escroto.
DEFEITOS: Qualquer desvio dos pontos anteriores será considerado um defeito e a seriedade com que o defeito será considerado será proporcional ao seu grau e ao seu efeito na saúde e bem-estar do cão, bem como na funcionalidade.

DEFEITOS LEVES: Entre os defeitos menores em ordem de importância, observe: cabeça ligeiramente menor que a proporção indicada em relação à altura na cernelha; crânio ligeiramente mais largo que a proporção indicada em relação ao comprimento total da cabeça; focinho ligeiramente mais curto que a proporção indicada em relação ao comprimento do crânio; eixos cranio-faciais paralelos; trufa saliente além da linha vertical dos lábios; trufa mais leve de pigmento, desde que as rimas palpebral e labial sejam bem pigmentadas em preto; lábios pigmentados, desde que as trufas e as rimas palpebrais sejam bem pigmentadas em preto; falta de um primeiro pré-molar (PM1); fechamento da pinça, ou seja, com a borda dos incisivos superiores oposta à borda dos incisivos inferiores; orelhas ligeiramente compridas; subpêlo não muito grosso; camada de luz e cobertura esvoaçante; construção um tanto pesada e grossa; tronco ligeiramente mais alongado.

DEFEITOS SÉRIOS: Por ordem de gravidade: cabeça muito mais curta que a proporção indicada em relação à altura na cernelha; crânio muito mais largo que a proporção indicada em relação ao comprimento total da cabeça; crânio arredondado; olhos arredondados; olhos com bulbo proeminente; parada muito pronunciada; focinho muito menor que a proporção indicada em relação ao comprimento do crânio;
focinho não cheio de substrato ósseo, leve; cauda muito curta; falta de dois ou mais dentes;
mordida em tesoura invertida, isto é, com a margem posterior dos incisivos inferiores em contato próximo com a margem anterior dos incisivos superiores; dentes subdesenvolvidos (microdontia); pêlos de cobertura de textura não rugosa; cabelos claros e esvoaçantes na variedade de cabelos compridos; ausência total de subpêlo; construção muito pesada e grossa; tronco muito alongado ou inserido no quadrado (comprimento do tronco da ponta do ombro à ponta da nádega igual à altura do algarismo)

DEFEITOS DE DESQUALIFICAÇÃO
1. Agressivo ou muito tímido.
2. Qualquer cão que mostre claramente morfologia ou comportamento não normal será desqualificado.
3. Amostra não típica.
4. Defeitos que proíbem o uso na reprodução: enognatismo; desfecho inferior; orelhas penduradas; eixos craniofaciais convergentes; despigmentação total da trufa e / ou margens palpebrais (colorcarne); Monorquidismo; criptorquidia; desenvolvimento deficiente de um ou ambos os testículos; um dos dois testículos não desceu bem ao escroto.

Hipótese padrão de Antonio Crepaldi (juiz Enci / Fci). Levantamentos biométricos de AntonioCrepaldi com a assistência de Cristian Ielli e a colaboração de Stefano Marangon.
Graças a Ms. Cristian Ielli e a Associação Gigante de Cães Tremoços - www.cane-luvin.eu

com curadoria de Vinattieri Federico - www.difossombrone.it


Vídeo: DOGO ARGENTINO VS PITBULL - Comparação entre raças (Setembro 2021).